LABRE PARTICIPA DE CONSULTAS PÚBLICAS DO INMETRO

 Objetivo é reduzir interferências provindas de televisores e lâmpadas

 http://www.radioamadores.org/news/news-2013/news-2013-20.pdf

 A LABRE Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão enviou em outubro
 e novembro de 2013, através de seu Grupo ad-hoc de Defesa Espectral
 (GDE), contribuições para 4 consultas públicas do INMETRO (Instituto
 Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) sobre normas técnicas de
 qualidade para produção e comercialização de televisores e lâmpadas LED:

 - Portaria n.º 393: Regulamento Técnico de Qualidade para Televisores;
 - Portaria n.º 470: Aperfeiçoamento dos Requisitos de Avaliação da
 Conformidade para Televisores;
 - Portaria n.º 477: Regulamento Técnico da Qualidade para Lâmpadas LED
 com dispositivo de controle integrado à base;
 - Portaria n.º 478: Regulamento Técnico da Qualidade para Luminárias
 para Lâmpadas de Descarga e LED - Iluminação Pública Viária.

 A participação da LABRE nas consultas deve-se aos produtos regulados
 serem geradores de rádio interferências. Uma maneira de reduzir as
 emissões interferentes é a adoção, nos regulamentos nacionais, dos
 quesitos de compatibilidade eletromagnética (EMC/CEM) já estabelecidas
 em normas técnicas internacionais pela Comissão Eletrotécnica
 Internacional (IEC), no Brasil estudadas e traduzidas pela COBEI (Comitê
 Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações) e
 ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

 A LABRE manifestou nas consultas que: “Normas consolidadas de EMC,
 aplicadas ao mercado nacional, oferecerão ao consumidor brasileiro um
 produto neste quesito igualável aos encontrados nos principais mercados
 tecnológicos internacionais, estimulando um ambiente onde os
 dispositivos em questão apresentarão maior imunidade e segurança frente
 às perturbações eletromagnéticas, assim como um produto
 eletromagneticamente menos perturbador de outras redes e equipamentos,
 característica para assegurar a interoperabilidade entre diferentes
 sistemas”.

 A associação ainda citou que os eletroeletrônicos “quando carecem ou
 apresentam baixa qualidade em EMC, apresentam risco de produzir e
 disseminar interferências descontroladas e excessivas, prejudicando
 vários serviços primários alocados no espectro eletromagnético, bem
 como usuários diretos e indiretos dos serviços de comunicação”.

 Para as portarias referentes a televisores, a LABRE sugeriu a inserção
 de requisitos de compatibilidade eletromagnética expostos nas normas
 CISPR 13 (Receptores de radiodifusão sonora, televisores e equipamentos
 associados – Características de Rádio Perturbações – Limites e
 métodos de medição) e CISPR 32 (Compatibilidade eletromagnética de
 equipamento multimídia – Requisitos de emissão).

 Já para as portarias referentes a iluminação, a LABRE sugeriu a inserção
 de requisitos de compatibilidade eletromagnética expostos na norma CISPR
 15 (Limits and methods of measurement of radio disturbance
 characteristics of electrical lighting and similar equipment). Esta
 norma inclusive está em processo de reconhecimento na ABNT devido
 atuação da LABRE nas Comissões de Estudos de EMC constituintes da CB-3
 (Comissão Brasileira de Eletricidade) da COBEI.

 A LABRE destacou em suas contribuições o recente trabalho da IARU nesta
 frente: “A IARU, União Internacional de Radioamadores, apresentou em
 2011 na ETSI e durante encontro da CISPR em Seul trabalhos que
 comprovaram interferências na recepção de rádio provocadas por sistemas
 de iluminação LED. Posteriormente reportagens de interferências
 semelhantes foram detectadas em faixas de VHF utilizadas em radiodifusão
 digital DAB, televisão e microfones sem fio. Nem todas
 marcas e configurações provocavam os mesmos efeitos, evidenciando
 necessidade de padronização que levaram à atualização da CISPR-15 em
 2013. (http://tinyurl.com/led-interf)”.

 Para maiores informações sobre o GDE/LABRE, visite:
hhttp://www.radioamadores.org

volta home