PY2GEA - Grêmio de Radioamadores da Rodada Encontro de Amigos

O QUE É O IARU

International Amateur Radio Union. Ou, União Internacional de Radioamadores.
Não confundir com ITU - International Telecommunication Union = União Internacional de Telecomunicações.
É oportuno esclarecermos quem são e o que fazem estas Entidades, e o que temos a ver com elas.
Discussões à parte sobre quem inventou o rádio, a História registra que, desde 1860, fala-se em ondas de rádio, ondas hertzianas, coesor - que mais tarde permitiu a telegrafia sem fio. Em 1895 surge a antena e são efetuadas transmissões a pequenas distâncias. Nesta época, consegue-se a façanha de uma comunicação a 250 km de distância.
Em 1900 aparelhos radiotelegráficos vão para bordo de navios. Em 1915 surgem as broadcasting, as emissoras comerciais. Quase chegando aos anos 20 nova descoberta vem ampliar a radiodifusão e as comunicações a grande distância: as ondas curtas.
Estamos lendo a Enciclopédia Mirador Internacional, verbete "radiodifusão", item 3.12: Quem as descobriu não foram cientistas ou empresas comerciais, mas, a nova categoria dos radioamadores; curiosos, que manipulavam aparelhos emissores de rádio para seu próprio prazer, sem fins lucrativos, movidos pelo simples intuito de entrar em contato com outras pessoas à distância.
Em pouco tempo começam a surgir os primeiros conflitos no uso do espectro de radiofreqüência. Embora pequena, a quantidade de radioemissoras, as interferências entre estações de diferentes serviços começam a prejudicar as comunicações. Impõe-se, portanto, uma regulamentação de caráter internacional.
Em 1925 surge a União Radiotelegráfica Internacional. Os governos entendem-se sobre a necessidade de definir as freqüências e assegurar-lhes o emprego mais eficaz possível. A primeira regulamentação entra em vigor em novembro de 1926.
Em 1932 é criada a ITU, União Internacional de Telecomunicações. É uma agência especializada intergovernamental, com sede em Genebra, destinada a promover a cooperação internacional no campo das telecomunicações. Em 1947 passa a integrar a Organização das Nações Unidas. Dentre outras finalidades, está a distribuição de freqüências em âmbito internacional, para evitar interferências prejudiciais.
O Brasil integra a ITU e é signatário de suas Convenções. A cada 5 anos, quando se realiza a Conferência Plenipotenciária, o governo brasileiro envia seus representantes para participar dela. Também participam destas Conferências, Entidades representativas de fabricantes de equipamentos de telecomunicação, de operadoras de telecomunicações e de emissoras comerciais de rádio e TV. Estas Entidades - todas com fins lucrativos - a cada conferência, tentam ampliar suas vantagens quanto à concessão do espectro, cada vez mais exíguo. São milhões de dólares que interferem em favor de seus interesses.
No meio deles, atrapalhando, estão os radioamadores. Usuários que - por não visarem lucro - também não recolhem elevados tributos aos governos, justamente os que dão as concessões. Bem aí entram os radioamadores, que também tem sua Entidade Representativa, na Conferência: a IARU.
Ninguém discute, e muito menos duvida, da capacidade financeira e de articulação dos governos ou das Entidades representativas dos que exploram comercialmente as telecomunicações, para enviar representantes às Conferências.
Mas... e os radioamadores?
A IARU necessariamente deve ser mantida por radioamadores. Não há subsídio governamental, de nenhum país, para manutenção da IARU. Aí entra a participação de cada radioamador. Participação pecuniária.

A IARU cobra 7 centavos de dólar por cada radioamador licenciado no país
.
Quem fornece a quantidade? Os governos, para a ITU, quando informam a quantidade de Concessões por tipo de Serviço.
E quem paga a conta? A Entidade Nacional de Radioamadores, reconhecida pelo Governo do país e pela IARU. E a IARU só reconhece uma única Entidade por país.
Aproveitando e corrigindo informações erradas que circulam pelas faixas: o que a ANATEL cobra anualmente com a TFF é arrecadação dela. Não vai absolutamente nada para a IARU. ANATEL está ligada à ITU. Quem se relaciona com a IARU é a LABRE.
Também já se disse que é a IARU que cuida do envio de QSLs "via Bureau". Pela IARU não passam os cartões QSL. Seu tráfego é feito diretamente entre os Bureaux das Entidades Nacionais. O máximo que a IARU faz, nesse sentido, é manter atualizada a relação de endereços dos Bureaux.

A dívida com a IARU
Tem-se dito nas faixas que a LABRE Paraná está colhendo valores para saldar o débito do Brasil junto a IARU, relativo a 3 anos. O agente pagador internacional é a Confederação LABRE (a antiga Labre/Nacional), que por sua vez arrecada valores das Federações LABRE (as Labres Estaduais).
Como não era conhecida oficialmente a situação e aproveitando que há troca constante de mensagens entre as Federações e a Confederação, foi feita a solicitação de esclarecimento.
Todas as Federações receberam a seguinte resposta:
- A Confederação não efetua o pagamento da cota à IARU desde 1998.
- As cotas referentes aos anos 1996 e 1997 foram pagas, mesmo sem terem recolhido suas parcelas as Federações do Acre, Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.
- Nos anos 1998 e 1999 a Confederação não conseguiu integralizar a cota por falta das contribuições das Federações do Acre, Amapá, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Sergipe, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.
- Em relação ao ano 2000 a situação é pior, pois a Confederação só recebeu as parcelas das Federações de Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul.
Portanto não tem sido integralizado o montante a ser recolhido pela Confederação e esta não dispõe de meios próprios para gerar os recursos necessários para preencher a inadimplência de algumas Federações.
É necessário entendermos bem o problema, e de uma forma bem ampla.

Temos que pagar 7 centavos de dólar por radioamador licenciado.
A dívida hoje é de 6.400 dólares americanos, relativa aos anos 1998, 1999 e 2000.
A Labre tem que fazer o recolhimento à IARU em nome de todos radioamadores: pelos seus associados, e por aqueles que não pertencem, não querem pertencer ou que se recusam a pertencer a ela, mesmo sabendo da necessidade de atuar junto aos poderes público e privado.
Como se acumulam os anos sem pagamento à IARU, a comunidade radioamadorística mundial está prestes a receber a notícia de que os radioamadores brasileiros perdem sua filiação à IARU por falta de pagamento.
Mas, como efetuar o pagamento referente a cerca de 60 mil radioamadores se 95% deles não é, ou não quer, ser sócio das Federações?
Como obter o necessário para saldar a dívida de todos os radioamadores brasileiros com a IARU?
A Labre/PR recebeu autorização da Confederação para uma campanha de arrecadação de fundos: a Campanha IARU/01.
Para isso abriu uma conta especial na:
Caixa Econômica Federal,
Agência 0369 - Conta Corrente 5228-2
Em cidades onde não há agência da Caixa, a doação pode ser feita através das Casas Lotéricas que recebem depósitos para a Caixa Econômica Federal.
Pretende-se arrecadar o montante, e o que exceder ficar como crédito futuro junto à IARU, para darmos "folga" à Confederação.
O valor para contribuição não é estipulado.
"Doa-se na mesma proporção com que se ama o radioamadorismo e a LABRE." - disse Gabbardo, Vice-Presidente da Labre/PR. Ele pede que o doador não se esqueça de se identificar, para permitir agradecimento posterior.
Um exemplo: com depósitos de 10 Reais, cerca de 4 dólares americanos, a contribuição de 1.600 radioamadores em todo o Brasil - 2,8 % (repetindo: 2,8 %) dos possuidores de Certificado de Operador de Estação de Radioamador - permite pagar por três anos, à IARU, a conta de cerca de 57 mil radioamadores brasileiros.
Outro exemplo: se cada radioamador depositar 53 centavos (repetindo: 53 centavos) colabora diretamente para que a União Internacional de Radioamadores continue a defender a concessão de uso que ainda temos de nossa faixas.
Lutemos pela nossa representação na IARU e seu poder de interferir e nos defender dos avanços dos segmentos desejosos de ocupar progressivamente nossas faixas radioamadorísticas.
Texto-base: PY3BZA – Eumar
Adaptação : PY2HS – Cláudio 13/07/01

12. E A RECADAÇÃO PARA A IARU
Recebemos este final de semana mensagem do PY5AKM, Eusébio, Presidente da Labre/Paraná, sobre a situação da arrecadação para saldar a dívida dos radioamadores brasileiros com a IARU.
Vamos lá, pessoal!
Depositem quanto puderem – um pouquinho, juntado a outros pouquinhos – irão ajudar a chegarmos ao total da dívida, que – acumulada até aqui, é de quase 6.500 dólares americanos. Portanto, pelo menos, temos de chegar a uma arrecadação próxima dos R$ 17.000,00 – (dezessete mil reais).
Continuem!

Caixa Econômica Federal
Agência 0369 - Conta Corrente 5228-2

volta.gif (493 bytes)